Pesquisar este blog

4.1.05

Factóide assassino

RIO - O prefeito Cesar Maia cumpriu a promessa e iniciou seu terceiro mandato com uma medida polêmica: decreto publicado esta terça-feira no Diário Oficial do Município determina que o governo municipal não vai mais alocar profissionais do seu quadro para atuar nas 30 unidades de saúde federais transferidas para a gestão da prefeitura do Rio. Cerca de sete mil servidores municipais que se encontram nas unidades federais poderão deixar as unidades federais municipalizadas e optar por vagas disponíveis na rede da prefeitura, inclusive no Hospital Ronaldo Gazolla, a ser inaugurado em Acari.

Além disso, está proibida a disposição de recursos do Município para investimento em equipamentos e obras nessas unidades. Os gastos com manutenção e aluguel de equipamentos também serão reduzidos gradualmente - a diminuição com essas despesas será de 20% por mês até que elas terminem.

A Procuradoria Geral do Município cuidará do cancelamento dos contratos de transferência de hospitais e outros estabelecimentos de saúde federais para a administração da prefeitura. Entre as unidades afetadas pela medida estão os hospitais do Andaraí, da Lagoa, de Ipanema e Cardoso Fontes, além do Instituto Phillipe Pinel e os Postos de Atendimento Médico (PAMs) de Irajá, Bangu e 13 de Maio.

10 comentários:

Daniel disse...

A Prefeitura não pode ficar cobrindo a diferença dos repasses defictários do Governo Federal.

A Prefeitura investe anualmente cerca de 1,6 bilhão de reais na saúde, o que equivale a cerca 18% de seu orçamento.

Se o Governo Federal não quer colaborar, através do convênio, então a Prefeitura devolverá as 30 unidades. Não fará abruptamente. Esta decisão foi informada ao Governo Federal em agosto de 2004 e desde então nada mudou.

Agora haverá uma transição de 5 meses, quando os recursos dos cofres municipais serão retirados 20% a cada mês e os funcionários municipais alocados nas unidades serão realocados.

As unidades passarão de volta para o Governo Federal. Se O Governo federal acredita que os recursos que repassa hoje são suficientes, que então fique feliz e administre diretamente. Se os recursos são suficientes, não há problema.

A bola tá com Lula...ele vai continuar indiferente a saúde do carioca?

Tiago disse...

Foi a prefeitura que, se vangloriando do dinheiro em caixa do grande administrador (era mentira, mas tudo bem), quis assumir essas unidades. Inclusive chamando, na última campanha eleitoral, os médicos que nelas trabalhavam de mentirosos, por denunciarem a penúria em que elas, assim como as outras unidades municipais, estavam.

"A bola está com o governo federal" é uma alegação ridícula. É chantagem pura e simples, e não cumprimento de contrato. A União tem pago o que deveria. O próprio César Maia admite "A municipalização dos hospitais federais foi feita sem critérios. E hoje pagamos por isso."

A conversa de que o município do Rio rola ladeira abaixo em todos os setores ao longo dos 12 anos de César Maia e aliados, mas isso é culpa (do estado/da união/dos municípios vizinhos) só faz sentido se você acreditar piamente no discurso do próprio César Maia. E tiver deixado a navalha de Ockham em casa.

Anônimo disse...

Aliás, é um belo método de administração - qualquer coisa que esteja uma merda, digo para outra esfera de governo "toma que o filho é teu."

Daniel disse...

Aos senhores mal informados:

1 - Estes convênios foram assinados na época do Conde.

2 - Desde agosto que Cesar Maia informa ao Governo Federal que os recursos federais são insuficientes e que desta maneira não dá para "bancar" o convênio.
O governo federal afirma que os recursos são suficientes...então que assuma a gestão.

Daniel disse...

O Prefeito do Rio deve ter o discernimento de defender os cofres do Município.

Não se pode injetar continuadamente recursos na saúde, sendo que parte destes recursos sejam pra suprir deficiências de Unidades Federais.

A alocação destes recursos no suprimento de 30 unidades federais é responsável por falta de remédios, por atraso em reformas e pela limitação de novas contratações, nas demais unidades.

Isso não é justo com o povo carioca.

Parabéns ao Prefeito pela postura firme e séria. Já parece ter surtido efeito. O Ministro da Saúde convidou Cesar Maia para conversar.

Assim é o governo PT, só se mexe com pressão.

Denise Florencio disse...

O Prefeito Cesar Maia avisou no ano passado que se continuasse a vergonhosa omissão do governo federal com relação à saúde, que iria devolver os hospitais que estavam sob a responsabilidade do Município.
Como é de conhecimento de todos, os hospitais Municipais representam hoje o melhor atendimento à saúde dentro do Estado e devido a isso, vivem sobrecarregados.
Muito bem feito pelo Prefeito Cesar Maia, cada governo um deve honrar e cuidar bem das entidades que são de suas responsabilidades.
O que se espera agora, é atitude por parte do governo federal, afim de se lembrar que o serviço deve ser bem executado para benefício da população e não para picuinhas políticas.
Com esta atitude o Prefeito da nossa cidade, poderá investir mais na saúde de nosso município e caberá aos outros cobrarem solução de quem tem a responsabilidade pelos outros hospitais.

Tiago disse...

O contrato foi assinado pelo município. Dizer que foi o Conde, e não o César Maia, não importa. Mesmo se a idéia não tivesse surgido ainda com Maia, e se Conde fosse outra administração, e não uma continuação, não importaria, porque quem assinou o contrato não foi o indivíduo, foi o município do Rio. Não se quebra contrato, alegando que não funciona. Se fosse assim, eu largava meu filho na casa da minha chefe, até que ela aumentasse meu salário. Se fosse assim, o governo federal devia suspender todo o pagamento de programas sociais, saúde e educação, até o FMI perdoar as dívidas.

O que vocês estão elogiando como forma de pressão sobre o governo federal é chantagem, feita com a saúde da população carioca. Nem o município tem "direito" a uma rede federal de hospitais.

E as unidades municipais propriamente ditas estão em petição de miséria. Os próprios médicos já denunciaram isso, mas César Maia e Ronaldo César Coelho disseram que eles "inventaram" a reclamação, e o reboco que caiu em suas cabeças.

Mas vai lá, vota no Grande Favelizador pro quinto mandato, ou pro governo do estado. Boa sorte. Se um dia morrer numa batalha campal no Centro, ou de bala perdida, sinto muito.

PS - Hipercorreção já é brega, mesmo quando não acompanhada de erros gramáticos.

PPS - Usar computador da prefeitura pra fazer apologia a candidato é crime. ;)

Azaury disse...

Vcs estao se esquecendo de um simples detalhe: a declaracao do Ministro da Saude que afirmou que estes hospitais são referencia para a populacao dos municipios vizinhos!
Entao por que a Prefeitura do Rio de Janeiro tem que arcar com a despesa gerada pelo atendimento de populacao residente em outro municipio???
Os impostos que pago sao para ser gastos na minha cidade, com a minha cidade, com a populacao da minha cidade!!!
O PREFEITO ESTA CERTISSIMO!
Acho ate que demorou muito para fazer isto!!!
O Governo Federal abriu os cofres para Sao Paulo, Belo Horizonte, etc, e se esqueceu do Rio de Janeiro.
Espero que agora tomem vergonha com a atitude de verdadeiro estadista tomada por Cesar Mais!!!

Daniel disse...

Faz muita diferença dizer que foi o Conde sim, pois vc mesmo Tiago, faz diversas confusões temporais.

Diz que o A prefeitura se vangloriava de ter dinheiro sobrando e por isso quis assumir, cita período de campanha etc...

Tiago, estas Unidades Hospitalares foram conveniadas entre 1997 e 1999.

Outro detalhe, a prefeitura ter dinheiro em caixa não é motivopara assumir despesas e queimar todo o dinheiro.

Dinheiro em caixa é muito diferente de receitas continuadas.

Não queira e nem force a barra e muito menos se faça de bobo para confundir as coisas,confundiras datas, confundir conjunturas e seja mais sério em suas análises.

... disse...

Thiago, nenhum dos integrantes da Juventude Cesar Maia que postaram neste blog trabalha no município do Rio como você disse no orkut, em uma comunidade contra o Cesar Maia (todas com menos integrantes que a da Juventude Cesar Maia, demonstrando que o trabalho do Prefeito Cesar Maia possui mais admiradores que críticos).

Há, sim, uma pessoa que trabalha em um local cujos computadores tem extensão .gov, mas esta empresa pertence ao Governo Federal...